sexta-feira, 15 de maio de 2009

Teste da coluna em 1.0 e 2.0


Especialista mostra pior e melhor jeito de guiar em duas versões

A coluna vertebral abriga grande parte do sistema nervoso. Por isso, vértebras desalinhadas interrompem o bom fluxo da condução de impulsos nervosos. Em bom português, isso pode significar dores nas costas, enxaqueca, esgotamento, cansaço crônico, hérnia de disco, escoliose entre outros problemas que, se antes pensávamos ser apenas de nossas avós, hoje não encontram limites idade.Sobre este tema há uma boa e uma má notícia. Comecemos pela má: passar cada vez mais tempo dirigindo é um dos fatores que geram problemas na coluna. A boa notícia? Em sua maioria, os problemas são causados por maus hábitos posturais. Uma vez corrigidos, você pode ter mais qualidade de vida e uma coluna saudável.Este, aliás, é o objetivo que dá corpo ao Projeto Coluna Saudável, coordenado pelo especialista em quiropatia Marcelo Costa. A convite do site WebMotors, Costa testou a coluna do analista de marketing João Mancuso em duas versões, no Celta 1-litro e no Peugeot 307 2-litros.
Celta versus 307
Mancuso, proprietário do Celta, dirige cerca de três horas por dia. “Ajusto o banco do meu carro de maneiras diferentes. À noite, quando estou mais cansado, deixo-o mais inclinado”. De acordo com o quiropata, a mudança não chega a ser um problema, “desde que o corpo esteja acomodado corretamente no veículo”.O banco do Peugeot 307 oferece várias opções de ajuste, mas Mancuso repete o erro praticado no Celta: pescoço fora do encosto e encolhido para frente (foto 1). “O pescoço pesa 1,6 kg. Se o motorista não o apoiar da maneira certa (fotos 2 e 3), o peso é distribuído para a coluna e a artéria vertebral é comprimida”, alerta o especialista.Outra consequência do mau uso do encosto é o efeito chicote. Em colisões, o pescoço costuma ser projetado bruscamente para frente e para traz, o que pode ocasionar o rompimento da artéria vertebral. Braços e pernas não devem ficar esticados (foto 4), mas levemente flexionados (fotos 5 e 6).
“Em caso de acidente, se os ocupantes do veículo mantiverem pernas e braços esticados há grande risco de lesão, pois não há flexibilidade do movimento”. Se o impacto for inevitável, Costa indica a técnica usada pelos pilotos: “o melhor a fazer é cruzar os braços junto ao corpo (foto 7)”.
Dirigir com a coluna afastada do banco, um dos braços apoiados na perna ou na janela do carro não é um bom negócio em 1.0 ou 2.0 (fotos 8 e 9). Para quem curte a postura nada sustentável, vale refletir se vale a pena encarar as dores geradas pela sobrecarga na coluna e os riscos de acidente.Estar acima ou abaixo do padrão estabelecido pelas fabricantes é outra dificuldade a ser superada. Mancuso, que tem 1,73 m, adapta-se bem tanto no Celta quando no 307. Já Costa, que tem 1,82 m, o 1.0 deixa a desejar em conforto e segurança (foto 10). “Minha cabeça quase bate no teto, os joelhos ficam muito próximos do volante e a visão, tanto dianteira quanto dos retrovisores, também fica prejudicada”, avalia. Já no 307, o quiropata encontrou espaço ideal para sua altura. “Quem está fora do padrão – e puder gastar – vale pesquisar um modelo que se adéque mais ao seu biotipo”.
Simples, mas eficiente
Você deve ficar atento também aos seguintes cuidados:- Apóie os calcanhares no assoalho do carro quando não estiver usando os pedais.- O cinto de segurança só pode fazer seu papel se usado corretamente. Basta ajustar a parte inferior sobre o abdome, e a superior, sobre o peito. Jamais coloque a faixa sobre o pescoço.- Os calçados também irão influenciar em sua segurança e bem-estar. Prefira os que ficam bem presos ao pé. Evite chinelos, sandálias ou outros tipos que dificultem o movimento. Pronto em três minutos Exercícios simples de alongamento ajudam a manter a boa postura e se encaixam perfeitamente na rotina. Confira alguns exercícios que levam apenas três minutos para deixar você pronto para os trânsitos da vida. Comece com alongamentos suaves. Ao se alongar, fique numa posição confortável. Respire fundo e profundamente. Expire ao se dobrar para frente. Concentre-se na região que está sendo alongada. Com a regularidade do alongamento, você ficará mais flexível. Outro hábito postural saudável é dormir da maneira correta: bom travesseiro para o pescoço e um travesseiro fino entre as pernas.

Para saber mais:


Projeto Coluna Saudável

www.projetocolunasaudavel.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Interessante!